top of page

Casal registra momento que urso os devorou

Conteúdo não recomendado para pessoas sensíveis



Timothy Treadwell, 46 anos na época de sua morte, e sua namorada, Amie Hugenard, 36, eram um casal apaixonado pelo meio ambiente que, em uma de suas típicas aventuras admirando a natureza, encontrou sua morte nas garras de um enorme urso pardo que os atacou no Parque Nacional de Katmai, Alasca, Estados Unidos, no dia 5 de outubro de 2003.


Na época do ataque, Treadwell havia completado um total de treze anos dedicados ao cuidado e preservação da vida selvagem, principalmente do animal que o matou.


Timothy “amava” os ursos, chamava-os de “amigos” e sentia que seu verdadeiro objetivo na vida era protegê-los, então toda vez que ele podia coabitar com eles na selva, ele aproveitava a oportunidade.


"Olhe para mim o quanto eu amo os ursos, como os respeito, como sou um deles", disse diante das câmeras. Ele realmente considerava que compreendia os ursos, porque como ecologista e documentarista autodidata, Timothy havia se dedicado a registrar tudo relacionado ao comportamento desses animais: sua alimentação, seus movimentos, seu habitat e até suas lutas por comida ou território com outros de a mesma espécie.


“Há momentos em que minha vida está à beira da morte. Esses ursos podem morder e matar. E se eu for fraco, eu perco. Eu amo ursos com todo o meu coração. Eu os protegerei e morrerei por eles. Mas não morrerei por suas garras e patas. Vou lutar e ser forte. Eu serei um deles. Eu serei o mestre”, foram as palavras que o conservacionista chegou a dizer num daqueles momentos em que considerou ter tudo sob controle.


Com o passar dos anos, Treadwell ficou mais confiante em suas habilidades na natureza e em seu relacionamento com esses animais selvagens. A cada vez ele conseguia registrar fotos melhores em que aparecia cada vez mais perto desses ursos: brincando com seus filhotes, alimentando e caçando salmões no rio e assim por diante. Timothy se aproximava cada vez mais e não ia parar.


De fato, nas últimas três temporadas em que fez isso, ele decidiu que compartilharia sua paixão com a namorada, Amie Huguenard, que também apreciava a natureza. Mas primeiro ela teve que superar os medos que esses animais lhe inspiravam e, assim que o fez, começou a acompanhá-lo. Eles nunca pensaram que aquele verão mágico de 2003 terminaria de maneira trágica.





A confiança cobrou o preço



Na noite da tragédia, Treadwell e Hugenard estavam acampados no Parque Nacional Katmai. Eles estavam gravando e filmando tudo o que era possível sobre ursos pardos, pois a ideia deles era fazer um documentário sobre isso.


Ambos permaneceram no local, bem próximos desses animais, sabendo que estavam próximos do outono, a estação mais crítica e perigosa para os ursos, pois é justamente quando eles começam a comer em excesso que entram em estado de hibernação. De fato, precisamente dois dias antes de sua morte, o casal havia testemunhado a luta brutal entre dois ursos pardos por uma presa.


“Estou um pouco preocupado, principalmente depois de assistir a luta outro dia. Eu ainda os amo. (...) Vamos partir daqui a alguns dias e precisamos ter certeza de que filmamos tudo o que precisamos. Posso ver a tristeza nos olhos de Tim quando falamos em ir embora. Ele realmente pertence aqui, esta é a casa dele", disse Amie à câmera.


“Ele é um deles e os entende. (...) Às vezes sinto que ele os ama mais do que a mim e isso é bom para mim. Esses ursos são a família dele. Espero que ele consiga lidar com a depressão de deixá-los depois de outro verão de sucesso com eles."


Naquela noite de 5 de outubro, um urso de 4 metros de altura invadiu o acampamento do casal no escuro. Imediatamente, um dos dois ligou a câmera para registrar o momento, mas esqueceu de tirar a tampa da lente, então conseguiu gravar o som do ataque.


O áudio é apenas arrepiante. Nele é possível ouvir os gritos incessantes de Timothy sendo comido pelo urso combinado com os gritos de desespero de sua namorada e o som da chuva caindo na barraca onde minutos antes ambos dormiam pacificamente.


"Fingir de morto! Finja-se de morto!” é o que Amie grita com seu parceiro, porém, esse conselho é de pouca utilidade. Pois bem, por mais que tentasse, Timothy não conseguiu escapar das garras do feroz urso que acabou por devorá-lo e, não satisfeito com isso, voltou para buscar sua parceira.


E é que, no áudio, chega um momento em que os gritos de Timothy deixam de dar lugar a um silêncio chocante que é interrompido pelos gritos de Amie, que então se torna a nova vítima do animal.


E assim, após seis eternos e arrepiantes minutos, termina esta gravação auditiva que, embora tenha se tornado viral em fragmentos, não está totalmente disponível ao público.


A cena final


Quem percebeu o ocorrido e achou a cena chocante, que parecia saída de um filme de terror, foi Willy Fulton, o piloto que foi procurá-los no local combinado.

24 horas antes, Fulton havia combinado com Timothy que ele iria buscá-los na segunda-feira, 6 de outubro, para levá-los de volta. No entanto, assim que pousou no Parque Nacional de Katmai, ele notou algo estranho. O silêncio do lugar o chocou. Não havia ninguém lá e, apesar de chamá-los, ele não obteve resposta.


O homem resolveu sobrevoar o local e foi então que conseguiu avistar, próximo ao acampamento onde o casal deveria esperá-lo, vestígios de destruição e um urso comendo o que parecia ser uma caixa torácica humana.


O piloto imediatamente ligou para as autoridades e, ao chegarem ao local, se depararam com uma cena macabra. Havia restos humanos por todo o acampamento e a causa de tudo isso ainda estava no local.


Por fim, os guardas florestais tiveram que matar o urso que, ao vê-los no local, ficou ainda mais agressivo. Eles enviaram seu cadáver junto com o que restava dos corpos do casal e, abrindo seu estômago, confirmaram que havia devorado Timothy Treadwell e Amie Hugenard.

14.551 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page