top of page

Os três tipos humanos

Luiz Carlos Prates



Se não soubermos em que barco estamos, vamos ficar à deriva na vida. Muita gente ignora, por exemplo, algumas verdades da Psicologia, verdades que resultaram de muitos e repetidos estudos. Nada inventado. O que me traz ao assunto, leitora, é já ter ouvido, e ontem ouvi de novo, alguém dizendo que “o fulano não gosta de mim...”. E a pessoa se escora no fato de o marido não lhe dizer sonoramente que a ama, por exemplo – “Eu te amo, meu amor”! A pessoa queixosa diz isso como a justificar que o companheiro não a ama. Baita engano, muitas vezes. Há três tipos básicos de personalidades, já falei disso aqui. Nada de novo, a lua vai e vem, não é mesmo? Os três tipos humanos básicos de personalidades são: os auditivos, os visuais e os cinestésicos ou gestuais. Em cada um de nós predomina um desses tipos. O visual só acredita no que vê, que ninguém lhe venha com histórias. Esse tipo no amor é uma barra pesada. Já o tipo auditivo só acredita no que ouve, se o cônjuge, ele ou ela, não viver dizendo – Eu te amo, eu te amo – vai ser complicado provar o contrário. Já o tipo gestual ou cinestésico só acredita quando há toques, abraços, beijos, corpo a corpo. Volto a dizer, em cada um de nós prepondera um desses tipos, o que não quer dizer que os outros tipos não nos façam parte também. Então, num casamento o sujeito que pouco fala do amor que sente pela companheira pode ser tomado por ela, erradamente, como um indiferente. Só que o silêncio dele é o jeito dele “falar”. Aliás, os silenciosos no falar costumam falar pelos gestos, é preciso atenção para não inferirmos um grave erro sobre quem está ao nosso lado. E se, por exemplo, o marido ou o namorado for do tipo cinestésico, também dito gestual? Vai ser uma chatice, essa pessoa vai passar o tempo todo querendo dar um abraço, um beijo, segurar na mão, tudo, mas, sempre no tato, no gestual. Um porre. O que definitivamente não pode haver numa relação é um julgamento fechado de um sobre o outro a partir do modo como somos. Um pouco de autoconhecimento e bom conhecimento sobre ele ou ela é o caminho da vida mais em paz.


Homens

Já ouvi muitas mulheres dizendo de homens boçais, a grande maioria: - “Ah, os homens são assim”! Negativo. Os homens, por maioria, são como são por duas razões: eles têm maior força física, mas isso nada significa, e são deixados ser “assim” pelas mulheres, a começar pelas mamãezinhas com seus bebês, os guris que elas queriam. Se as mulheres reagirem, se decidirem pelo basta, vai bastar. Sabes o que penso? Tudo vai continuar como está...


Decisões

Tomar decisões quando estamos muito “lá em cima”, alegrões, festivos, felizes em razão de alguma bobagem, são decisões perigosas e, mais das vezes, formidáveis equívocos. Melhor é deixar o pó baixar, pensar, pensar, pensar e... Só depois decidir. Já foi dito que a pressa é inimiga da perfeição, e os entusiasmos depois de alguns “goles” são decisivos para um tombo feio. A calma é um bom elixir...




Falta Dizer

Já reticências com a Anita, cantora, hoje me curvo de admirações a ela. Ela é inteligente, tem visão de mercado e do que o “rebanho” gosta, isso é formidável para quem faz negócios. E o inglês dela é de constranger “professores”. O dinheiro não compra essa qualidade, o “suor” sim o viabiliza. Anitinha, aplausos!

121 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page