top of page

Deputado de Joinville agredido verbalmente em audiência

Por Agência AL

foto: Solon Soares/Agência AL


Deputados de diversas siglas partidárias foram à tribuna durante a sessão plenária da manhã desta quinta-feira (30) para manifestar solidariedade ao deputado Fernando Krelling (MDB), que relatou ter sido agredido verbalmente pelo presidente da Fundação Catarinense de Esportes (Fesporte), Paulo André Jukoski da Silva, o Paulão.


O caso teria acontecido na noite de quarta-feira (29), durante uma audiência pública convocada por Krelling para discutir a decisão do governo do Estado de cancelar diversos eventos esportivos programados para este ano. Conforme o parlamentar, que preside a Comissão de Esportes e Lazer da Assembleia Legislativa, ao receber os questionamentos relativos ao tema, Paulão teria se dirigido a ele com palavras de baixo calão. “No final da audiência o presidente da Fesporte veio para cima e baixou o tom realmente, com alguns xingamentos a minha pessoa.”


Em aparte, o deputado Massoco (PL) buscou pacificar a situação, afirmando que as palavras proferidas por Paulão podem estar relacionadas à forte pressão que ele vem recebendo pelo cancelamento dos eventos esportivos e que apresentava desculpas em nome do dirigente.


A argumentação não impediu, entretanto, que Krelling pedisse a exoneração do presidente da Fesporte. “Presidente Paulão, faça um favor para Santa Catarina, para o esporte catarinense, não crie um desgaste para o governador Jorginho Mello, peça exoneração do seu mandato. Todo o segmento está totalmente contra essa gestão, então seria um grande gesto o seu pedido de exoneração.”


Os deputados Neodi Saretta (PT), Delegado Egídio (PTB) e Altair Silva (PP) manifestaram-se no mesmo sentido.


“É lamentável o que aconteceu, então há na Casa um posicionamento unânime das bancadas de solidariedade. E é preciso realmente que haja uma ação imediata e talvez o próprio Paulão possa poupar o governo de mais desgaste e tomar a medida de saída imediata”, disse Saretta .


“Quando alguém vem aqui nessa Casa e não usa o diálogo, não usa o debate e falta com o respeito a vossa excelência [Krelling], ele te ofende e me ofende também, e a todo o Parlamento. Isso é inconcebível e indesculpável. E mando um recado para o presidente da Fesporte: Paulão, pede para sair”, frisou Egídio.


“As palavras proferidas pelo ex-atleta Paulão mancham toda a sua biografia, a sua história. E evidentemente ele deve um pedido de desculpas expresso à sociedade catarinense e a essa Casa também”, disse Altair, afirmando ainda que o gestor deve pedir exoneração “como um ato de hombridade”.


Já os deputados Matheus Cadorin (Novo) e Pepê Collaço (PP) defenderam que a Assembleia Legislativa envie uma nota de repúdio ao governo do Estado.


“Temos que enrolar a bandeira partidária e eu sugiro uma ação conjunta da Assembleia. Que seja uma nota de repúdio a essa atitude, porque isso não pode escalar, virar um precedente para que outros tenham a liberdade também de ofender essa Casa, dizendo que nós nos escondemos atrás de um microfone”, disse Cadorin.


“Confrontos fazem parte de um Parlamento e daquilo que a gente defende, mas ultrapassar os limites como Paulão fez ontem é inaceitável. Acho que a Assembleia tem que tomar uma postura de repúdio e saber o que governo do Estado vai fazer diante desse fato, que não foi só desrespeitoso ao deputado Fernando Krelling, mas ao Parlamento catarinense”, avaliou Collaço.

121 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page