top of page

Nova ponte sobre o rio Cubatão, o que se sabe


Ponte também serve de ligação entre Joinville e Garuva


Cerca de 1.500 pessoas que residem nas imediações da conhecida Ponte Baixa, na região do Quiriri, em Pirabeiraba, aguardam pela reconstrução da estrutura. A ponte, que tem 60 metros de extensão, é fundamental para os moradores da região, pois é utilizada por 300 alunos de escolas das redes municipal e estadual diariamente. Além disso, a ponte está localizada numa área de proteção permanente e é ferramenta imprescindível para ajudar a escoar a produção agrícola, fonte de renda de muitas famílias.

Devido às fortes chuvas que atingiram a região em novembro de 2022, o nível do rio Cubatão subiu e parte da estrutura foi arrancada pela força da água.


Transtorno


Jorge Adilson relatando ao deputado Sargento Lima as dificuldades que os moradores da região do Quiriri têm tido pela falta da ponte



Jorge Adilson, que reside no Quiriri, explica o transtorno que a ausência da ponte tem provocado. "Nós temos um único acesso. Para ir para o trabalho preciso realizar um desvio diário de 14km". Explicou.


A reivindicação da população é de que a nova ponte ofereça segurança. A estrutura precisa suportar enxurradas e os veículos leves, médios e pesados que trafegam pelo local. O pedido é que a nova ponte seja construída em concreto.


Grupo de fiscalização



Comunidade reunida para discutir construção da nova ponte


Existe um grupo de fiscalização formado por 10 pessoas, entre moradores e representantes do poder público, que se reúne regularmente para avaliar e discutir possibilidades. No último encontro, realizado em meados de fevereiro, o grupo de fiscalização e mais cerca de 70 pessoas da comunidade conheceram o cronograma e o planejamento da obra da nova ponte. Na oportunidade o projeto apresentado pela prefeitura foi aprovado e nos próximos dias o edital será lançado.


Previsão


Até começo de junho, se não houver nenhum contratempo, a empresa vencedora da licitação deve ser conhecida e receberá a ordem de serviço para executar a obra.

A estrutura de madeira que restou está condenada e não há como realizar uma obra paliativa para que a ponte seja utilizada, ainda que de maneira provisória.


Segundo o vereador Diego Machado, presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, há recursos "carimbados" para a construção da nova ponte sobre o rio Cubatão. O parlamentar lembra ainda que a demora se deve à burocracia. Trabalhar com obras públicas envolve muitos elementos legais.

É essencial que cada detalhe do projeto, orçamento de obra e da licitação da construtora estejam em ordem. Não respeitar detalhes burocráticos ou cometer erros no processo de participação de uma licitação de obras públicas traz diversas consequências negativas.


Tudo indica que a nova ponte não ficará pronta antes de 2024. Assim, os moradores da região terão que utilizar rotas alternativas por no mínimo um ano.


Vídeo abaixo:





363 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page