top of page
  • Foto do escritorRDB

Campeão da emoção e com garra

LETRINHAS DO RDB com Roberto Dias Borba


O primeiro título da Serbi na Segundona não poderia ser com um enredo em que não poderia faltar a determinação de cada um de seus atletas e com um clima tenso e de muita garra. O sábado ensolarado no bairro Itinga conseguiu reunir todos estes ingredientes.

A tensão foi criada com os fogos de artifício direcionados para o gramado, uma prática que deve ser abolida dos campos para não termos no futuro uma reedição de finais sem a presença de público. Mas na bola foi a Sercos que deu um recado de muita ofensividade e que não conseguiu passar pela sólida e bem postada defensiva do time da casa.

A Serbi saiu na frente, com um chute de longa distância de Mano, e assim modificou o panorama da partida. O artilheiro Anderson empatou no segundo tempo em cobrança de pênalti, mas a Serbi confirmou o único resultado que poderia lhe levar ao topo do pódio, que era a vitória. E foi com o 2 a 1 que a representação de Márcio Petróleo e Ângelo Júnior reverteu a derrota por 2 a 1 na partida de ida.

Um campeão com todos os méritos, que somou 18 vitórias, dois empates e apenas uma derrota, marcou 57 gols e sofreu 20. A Serbi marca seu nome na história da Segundona da LJF como seu 38º campeão.


Serbi, o campeão da Segundona 2021

Foto: RDB


Vice com muitas qualidades


O retorno à Primeirona não pode servir apenas de consolo para a Sercos. O time do técnico Everton Fernandes teve muito mais méritos nesta jornada. A agremiação do bairro Costa e Silva somou 13 vitórias, oito empates e teve apenas uma derrota e que foi justamente na decisão. Marcou 63 gols e sofreu 24.

A contusão do goleiro Didi, com menos da metade do primeiro tempo, e também a saída do experiente Jorge tiraram a estabilidade que a Sercos havia encontrado até aquele momento. Foi mais ofensiva do que o adversário, mesmo precisando apenas o empate para ser campeão. A igualdade no placar, com a cobrança de pênalti de Anderson, dava a impressão que tudo poderia se voltar para o representante do Costa e Silva, mas a virada da Servi foi inevitável, num momento de intensa pressão do adversário. Campeão em 2004, a Sercos deixou escapar seu segundo título na Série B joinvilense.



Sercos retorna à Primeirona em 2022

Foto: RDB


Empresário de olhar humanitário


A Liga Joinvilense de Futebol, nas três séries dos campeonatos adultos, encontrou parceiros para bancar os custos da premiação. Troféu para marcar uma conquista precisa ter peso e envergadura e que estão contidos em cada uma das peças entregues aos finalistas das três competições, além dos destaques.

Na Segundona, a premiação foi custeada pela Postes Laurindo. O empresário Arlindo Laurindo prontificou-se a patrocinar a premiação, fazendo apenas uma exigência: o nome que vai no troféu é de Ademir Coelho da Silva, colaborador do Aventureiro Esporte Clube.

Arlindo Laurindo já promete repetir a dose para o ano que vem, quando pretendia homenagear outro amigo: Deca (José Geraldo Porcina), incansável dirigente do Estrela do Sul. “Era para ser uma homenagem em vida, que não será possível. Então, será uma homenagem póstuma”, descreve Laurindo.




Ademir e Laurindo: homenagem para um amigo

Foto: RDB



Preservem o futebol raiz


Acompanhei as três partidas finais de 2021 das três séries dos certames adultos da LJF. Estava com saudades de ficar à beira dos gramados para registrar fatos com fotos, depois de um longo período que provocou o distanciamento de tudo e de todos. O torcedor não se preocupou com as normas sanitárias. Todos queriam é ver e acompanhar os jogos como se nada tivesse acontecido a partir de fevereiro de 2020.


Até aí é uma questão de obediência às normas sanitárias. Alguns outros foram para um lado bem mais perigoso, colocando em risco a segurança de quem estava nos campos. Exceto na Arena, na final da Primeirona, os fogos de artifício foram usados pelos torcedores do time mandatário como escudo para se defender do que alegam ter sofrido nos jogos na casa dos adversários.


Na final da Terceirona, um torcedor do Adhemar Garcia não se cansou de estourar fogos próximo do goleiro do Nego Buja. “Lá (na casa do NBFC) eles também fizeram isso”, era a alegação para usar como defesa. No Itinga, neste sábado, dia 11, a cena foi a mesma. Aí o árbitro Maicon Ramos da Silva ameaçou suspender o jogo caso não parasse a soltura dos fogos, por considerar uma ameaça a integridade física de quem estava em campo. O time da casa se defendeu: “Não podemos fazer nada. É a vontade do torcedor”.


Pode ser feito, sim. Para isso, os clubes precisam se reunir e ter uma só voz nos próximos arbitrais da Liga para não ocorrer na Segundona e Terceirona o que já é praticado na Primeirona desde 2008, com a decisão na Arena. A minha sugestão: manter as finais nos campos dos bairros, mas em ambiente neutro para a sobrevivência do futebol amador de Joinville.



Falta cabelo, sobra talento e títulos


A calvície antecipada, logo aos 21 anos, faz com que Cristiano Gonçalves Ventura, o Cris Paraíba, tenha o semblante de jogador veteranos. Aos 35 anos, ainda tem muita vitalidade e talento de sobra nos pés, além de fôlego para atravessar os 90 minutos de um jogo de decisão. É assim que consegue um currículo vitorioso de muitos títulos, com os títulos conquistados pelo Paraíba, Família Mélis, Estrela da Praia e agora com a Serbi. Pelo jeito, não tem hora para deixar os gramados de Joinville.


Cris Paraíba, o comandante do título da Serbi

Foto: RDB



Agricultura e futebol no Vila Nova


A manhã de domingo foi para pausa na labuta da agricultura. O campo estava reservado para o futebol, com a decisão da 1ª Taça Agricultores do Vila Nova. No estádio do União da Estrada Blumenau, no primeiro jogo, o time da casa garantiu a medalha de bronze ao vencer o Só Amigos por 2 a 1. Depois, na grande decisão, o Nordeste aplicou goleada de 5 a 0 sobre o Avaí.

A competição teve as semifinais e finais concentradas no estádio do União, na Estrada Blumenau, com os jogos da fase classificatória também ocorreram em outros locais: Palmeiras (Estádio Dagoberto Campos), Avaí (Estádio Carlos Stamm) e no Fluminense (Estrada Anaburgo).


1ª Taça Agricultores do Vila Nova


Campeão - Nordeste


Vice-campeão - Avaí


3º União Estrada Blumenau


4º Só Amigos


Disputa da medalha de bronze


União Estrada Blumenau 2 x 1 Só Amigos


Decisão da medalha de ouro


Nordeste 5 x 0 Avaí


Artilheiro - Cleverton Carvalho Reis - Nordeste - com 11 gols


Goleiro menos - Rodrigo Fideles de Souza - 2 gols - Nordeste





Nordeste, o campeão da Taça Agricultor

Foto: Edigilson Jelinsky



Os melhores de 2021 do futebol de Joinville


Na Colina, a sede do Tamandaré, a noite desta segunda-feira, dia 13, reserva a entrega dos prêmios aos destaques do futebol amador de Joinville, notadamente nas competições da LJF. A última coluna do ano estará trazendo detalhes e informações desta festa. Desde já, agradeço a companhia de todos neste período em que estamos no Portal Via Direta.

353 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page