top of page
  • Foto do escritorRDB

Ano um pós centenário


A numeração que adotamos mostra que tudo começa a partir do 1. Assim, portanto, o ano um do Caxias Futebol Clube, após o centenário, está começando neste 12 de outubro de 2021. Mesmo sem festa, repetindo o que já ocorreu no ano passado, em função da pandemia, é uma data histórica para o Gualicho e seus seguidores. No futebol de Joinville é o segundo clube a atingir a marca dos três dígitos. Antes, apenas o coirmão América chegou tão longe.


A festa que o Caxias pode proporcionar, para reverenciar toda sua trajetória e todos as pessoas que proporcionaram ao Alvinegro a longevidade esportiva, é mostrar o que está sendo feito no presente. A revitalização do Ernestão representa a roupagem que o clube pode estar adotando para estar apto em direção de um tempo novo.


O presidente Norberto Gottschalk, junto com todos os dirigentes atuais, encabeça um projeto arrojado e que deixa para trás as últimas duas décadas desastrosas e de desastres na vida administrativa e patrimonial da agremiação. A perda da faixa de terra na extensão da rua São Paulo é imperdoável, mas o restante da área, preservando o campo e a arquibancada coberta, está preservada, mantida a custo elevado e ainda com a projeção de novas edificações. Isso mostra que o Gualicho sobrevive e sobreviverá.




Ernestão vem recebendo obras de modernização. Trabalho junto com parcerias

Foto: Divulgação CFC





Projeto para 10 anos


A deterioração e perda de parte do patrimônio foram deixados de lado, ou melhor dizendo, tudo isso superado com um arrojado projeto e que deverá recolocar o Ernestão num melhor patamar. E tudo pelas diversas obras que vem sendo executadas, contando para isso com parceiros para erguer novas dependências dentro do endereço da rua Coronel Francisco Gomes, 1.000.


Duas quadras de grama sintética, incluindo um amplo ambiente com vestiários e bar no térreo e um salão para receber até 200 pessoas no piso superior, estão em fase de conclusão na parte norte do estádio. E do outro lado, quadras de areia para vôlei de praia, beach tennis e futevôlei, com área para confraternizações, além de vestiários.


Toda esta estrutura externa, junto com as salas embaixo da arquibancada coberta, faz parte de um amplo projeto para a modernização do Ernestão, com execução que deverá ter sua conclusão em 10 anos.





Presidente Norberto Gottschalk: dedicação em tempo integral ao clube


Foto: Divulgação CFC




Futebol e Caxias, sempre juntos


A bola fez surgir o Caxias no longínquo 1920. E nunca mais parou de rolar. Os títulos estaduais da elite de 1929, 1935 (que falta ser homologado pela FCF), 1954 e 1955, além de 2002 na Segunda Divisão e de 2010 da Terceira Divisão tornaram o Gualicho um dos grandes do futebol profissional de Santa Catarina.


No momento, a camisa alvinegra está desfilando nos gramados do futebol amador de Joinville. O retorno ocorreu com a atual diretoria depois de um período obscuro com o comando de pessoas que quase deixaram a história do clube escapar pelo ralo. Na Terceirona em 2018 e na Segundona desde 2019, é claro que o ambiente do Caxias, mesmo no amador, seria a Primeirona.


Os torcedores tradicionais e a nova geração sempre perguntam sobre o retorno com o profissionalismo. Os projetos sem fundamento das últimas duas décadas tornaram inviável fazer novos planos. Pela proposta dos atuais dirigentes, com o patrimônio resguardado, valorizado e modernizado, tudo indica que a volta ao profissionalismo possa ocorrer dentro desta previsão de tudo estar em seu devido lugar, provavelmente dentro de 10 anos. Tudo com os pés no chão e não apenas pela simples paixão.






Caxias já está classificado para as semifinais da Segundona de 2021


Foto: Divulgação CFC




Novos talentos


Em 2019, quando ocorreu a chegada de uma nova proposta administrativa, o Caxias deu o passo inicial para formar novos talentos. O importante e necessário apoio para atrair uma nova safra colocou o Alvinegro em diferentes categorias de base nas disputas da LJF. Por ter apenas o espaço do Ernestão, e com o alto custo para a manutenção do gramado, os dirigentes tiveram que adotar uma medida drástica e desativar o trabalho das escolinhas e categorias.


O assunto continua como prioridade. O Caxias precisa formar novos jogadores e, com isso, atrair novos adeptos e torcedores. Para tanto, os dirigentes têm na manga do paletó um projeto arrojado que é ter uma área para a construção de um centro de treinamento. Essa área sobressalente possibilitaria ao Caxias retomar o trabalho de escolinhas. É questão de aguardar.





Duas quadras com gramado sintético estão em fase de conclusão


Foto: Divulgação CFC




Camisa de peso


O preto e branco no futebol de Joinville significa Caxias Futebol Clube. É ainda hoje a certeza de mercado garantido para os tradicionalistas e angariando novos adeptos. A primeira pergunta que todos fazem: onde comprar a camisa. Pelos planos desta diretoria, em breve deverá ser disponibilizado um espaço no próprio Ernestão para a comercialização de todos os objetos relacionados ao Gualicho. E que esta previsão não demore, pois o interesse é significativo.



208 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page